sexta-feira, 27 de março de 2009

Corrompendo e calando, eles mandam em Ilhéus

A ousadia dos empresários do transporte coletivo de Ilhéus não tem limites.

Através do "poder paralelo" que exercem nas mais diversas esferas, estão negando a deficientes físicos, estudantes e idosos, direitos considerados elementares.

Em Ilhéus, portadores de deficiências só conseguem ter acesso a gratuidade nos ônibus se forem aleijados ou cadeirantes.

O "Transporte Cidadão", serviço que costumava levar deficientes físicos aos jogos do Colo-Colo, no estádio Mário Pessoa, parou de funcionar nos domingos. Os empresários alegam que não tem obrigação de fazer o transporte gratuito para jogos de futebol, e demais atividades de lazer.

Agora, os "poderosos do transporte" negam meia-passagem para alunos de pós-graduação (especialização e mestrado) da UESC, alegando que não são estudantes.

A influência que cega.

"Ele" trafega livremente pelos corredores do poder, goza de muito prestígio, tal como um "chanceler" que usa o dinheiro para obter sucesso, com a sua diplomacia perniciosa.

Na sua caderneta constam nomes de policiais, vereadores, secretários municipais, profissionais de imprensa, advogados caros e autoridades que nunca ousaria citar.

Aparentemente educado e de voz pausada, alguns afirmam que é cristão, o que discordo frontalmente, pois aquele que não reconhece como deficiente físico, uma pessoa que sofreu três AVCS (acidente vascular cerebral), com sequelas visíveis por todo o corpo, para mim é um nazi-fascista, o demônio em si, que jamais foi santo, e não pode ter em seu nome referência a um.

4 comentários:

Saulo Rondinelli ::. disse...

Pois é, isso aconteceu comigo. Para fazer a renovação (selar 2009) do cartão eletrônico, apresentei o comprovante de matrícula da UESC e disseram que eu não poderia continuar tendo o direito de utilizar a meia-tarifa, ou seja, tentaram me convencer de que eu não era mais estudante, por ser aluno de Mestrado. Isso aconteceu no dia 27 de março, no mesmo dia coloquei o fato na mídia. Penso que, se querem "fama", deveriam construir uma imagem positiva ao invés de restringir o é estabelecido pela CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Explicando, sabemos que compete à União, aos Estados e aos Municípios legislar sobre educação, cultura e desporto (artigo 24, inciso IX, da Constituição Federal), entretanto, neste último caso, a legislação local deve seguir a orientação da legislação federal, que estabelece normas gerais. O artigo 22, § 4º, da Constituição Federal, diz ainda que a lei que assim a contraria tem eficácia suspensa, por determinação constitucional. O fato é que, a CONSTITUIÇÃO FEDERAL que diz que TODO estudante gozará de meia-passagem em TODO O TERRITÓRIO NACIONAL; contudo, para a lei "daqui", aluno de mestrado não é estudante! Pasmem! É isso mesmo, o SIT interpreta a lei municipal de forma mais retrógrada do que a própria lei e nos impede de usar um direito assegurado pela CONSTITUIÇÃO. Para quem não sabe, desde 1994 (HÁ 15 ANOS) a LDB, o MEC e todo o sistema educacional do país, aboliram as expressões "1º grau", "2º grau" e "3º grau". As antigas expressões foram reformuladas para "Ensino Fundamental", "Ensino Médio" e "Ensino Superior", respectivamente. Na lei municipal parece que o aluno de Mestrado, por exemplo, estaria enquadrado no "5º grau" (na lei municipal discrimina-se "1º e 2º graus", exclusivamente), quando na verdade, cursos de pós-graduação também fazem parte do "Ensino Superior". Se a lei se refere às diretrizes que regem o sistema de ensino, sugiro a Câmara de Vereadores de Ilhéus a convocarem pessoas especializadas para este fim. O que está acontecendo, do jeito que estão as coisas, é empresas sendo beneficiadas o tempo todo e nossos representantes políticos alheios e de olhos vendados diante da situação. Por outro lado, boa parte da população permanece omissa até mesmo por desconhecer direitos e por não existir nenhum incentivo (senão os federais e estaduais, os que existem, mesmo assim "acabam" barrados por "fatores" municipais). Aqui, conclamamos todos os representados por esse dasabafo a juntarmo-nos nesse manifesto. Respaldo temos, e jurídicos, conhecimento também; graças a nossa força em construí-lo e nunca deixar de aprender mais. NUNCA deixar de ser ESTUDANTE!!

Nêga Maluca disse...

Só vejo uma solução.
Aquela adotada pela população de Porto Seguro, no bairro Baianão. Assim ele se enquadra e entra nos eixos.

Saulo Rondinelli ::. disse...

Já existe um projeto de emenda na Lei Orgânica no Artigo 277 §1º, do Capítulo XVIII.
O fato é que, agora, nós estudantes (inclusive de graduação, já que "amanhã" estarão cursando especialização, mestrado, e terão a mesma dificuldade)teremos que nos unir e cobrar nossos direitos. Possuo uma cópia do referido projeto de emenda e deixarei no DCE (UESC) junto com um abaixo assinado para endosso dos demais estudantes. No dia da sessão seremos avisados e marcaremos presença para apoiar o projeto e apresentar reivindicações sobre o sistema de transporte de Ilhéus.

Saulo Rondinelli ::. disse...

Alunos de cursos de Pós-graduação, cursos pré-vestibular, cursos técnicos... Pessoal, vamos nos mobilizar! O abaixo assinado se encontra no DCE (UESC). Lutemos por nossos direitos! Sem nosso apoio, essa proposta de emenda não terá crédito "nenhum" na sessão...